31 de julho de 2006

Image Hosted by ImageShack.us


Sou da opinião que 'amor' não se mede por tempo.
Semanas sem se ver, parecem meses.
Alguns dias juntos, uma eternidade.
E assim, se passam dias, semanas, meses e anos de muitos momentos inesquecíveis.
Teoricamente, hoje faz 1 anos que estamos juntos...
o sentimento equivale a uma vida inteira!
O que começou numa troca de comentários de blog cresceu, tomou forma, proporção e hoje é uma das cosas mais gostosas que tenho na minha vida.
Nos completamos, em todas nossas semelhanças e diferenças.
Somos dois e não temos a pretenção de sermos um.
Nossa liberdade é que nos une, nosso amor o que nos sustenta e nossa vontade o que nos impulsiona.
Vontade de ficar junto, de viver a vida, de ser cada vez mais feliz... assim...
com nossos erros e acertos que só nos sabemos como são.

"...e os pés que irão por esse caminho
vão terminar no altar
Eu só queria me casar
com alguém igual a você
E alguém igual não há de ter"

Dé, amo você.

Eu vou mas eu volto.

27 de julho de 2006

Image Hosted by ImageShack.us

Já que é pra ter namorado que mora longe...
que seja na praia, não é mesmo?
Hahaha, podia ser até nos quintos dos infernos que eu ia feliz!
Vale a pena.
To indo namorar.
Mas volto logo.
Aiai...

25 de julho de 2006

Image Hosted by ImageShack.us
Pessoas Apaixonantes


É mesmo impressionante como o comportamento humano pode ser tão contraditório.
Algumas pessoas falam uma coisa quando querem dizer outra, ficam quietas quando deviam desabafar,
desapontam quem gosta, puxam o saco de quem detesta.
E pra complicar, além dos medos e inseguranças que as fazem agir dessa maneira incoerente, existe também na receita um elemento a mais:
uma pitada de paixão.

Aí a vida fica maluca mesmo.

Por exemplo, acredito que todos nós temos um certo comportamento apaixonante.
Ou seja, todos temos naturalmente um certo charme e certas qualidades capazes de atrair uma suposta cara-metade.

Logicamente, dependendo da afinidade de gostos e de uma leve ajuda do destino.
Mas não resta nenhuma dúvida que, ao agir naturalmente, as pessoas se tornam muito mais atraentes.
Sendo espontâneas, são engraçados, divertidas, verdadeiras.

Apaixonantes!

Agora, uma vez atingidas pela tal flecha de Cupido, jogam pela janela todo o charme natural.
Adeus comportamento apaixonante.
Bem vindo comportamento apaixonado.

Esse ato avassalador vai perigosamente levar a dois tipos de atitudes.
Isolar medrosamente de qualquer tipo de contato, se contentando eternamente nas fantasias platônicas.
Ou passar a dedicar toda a existência ao ser amado, transformando num legítimo grude, um tremendo baba-ovo, um chato de galochas.
Digamos que dois comportamentos nada adequados a quem quer conquistar alguém.
Quer maior contradição que essa?

Quando finalmente precisam contar com todas as armas, pronto.
A perna começa a tremer, o peito dispara, as idéias interessantes se evaporam,
as sacadas divertidas desaparecem.
E normalmente se solta um comentário sem sentido.
Quem nunca pensou: Putz, o que é que foi que eu disse??

O legal é que não precisamos ser sempre assim.
Lá no fundo ainda se esconde aquele comportamento realmente apaixonante.
Ele nunca deixa de existir.

A naturalidade e a espontaneidade que mostram verdadeiramente quem a gente é.
Cuidado pra paixão e a ansiedade não esconder as qualidades...
Então, definitivamente, as histórias de amor poderão ser um pouco menos contraditórias...

*já passei por muita situação não apaixonante, nada como o tempo pra mostrar que antes de qualquer amor, é preciso estar apaixonado por si prório, é a tal da história de cuidar do jardim...

Eu vou mas eu volto!

20 de julho de 2006

Image Hosted by ImageShack.us



Que os amigos são a coisa mais importante da vida até as Spice Girls sabem.
Elas fizeram aquela musiquinha falando,
"se você quer ser meu namorado vai ter que gostar das minhas amigas etc".
(hahaha, como eu fui lembrar disso?)
O que estou descobrindo é a maravilha que é ter amigos de infância que você conhece há um mês.

É claro que os amigos de infância mesmo continuam, moram no coração e de lá nunca sairão.
Eles já têm casa própria na vida, digamos assim.
O que acontece é que vez ou outra aparecem novas pessoas e você se apega a elas e elas se apegam a você.

O início de uma amizade é tipo o início de namoro.
Vocês estão tão apaixonados que fazem coisas que não fariam mais por um amigo de anos.
Desculpem os antigos, mas nem sempre fazemos os mesmos sacrifícios.
Com os amigos antigos, queremos um pouco mais de tempo e/ou sossego.

Por exemplo, passamos horas andando no supermercado, sem comprar muitas coisas, com um novo amigo de infância, e achamos isso ótimo!
*o que, com certeza vamos nos taxar de insanos num futuro próximo, rs*

É o início de uma relação.
Frases como "não minta porque eu te conheço" também estão abolidas.
Quanta liberdade!

Mas o mais bacana mesmo, o mais sensacional de tudo, é que um novo amigo de infância provavelmente vai virar um amigo antigo.
Não é como um namoro, que talvez um dia acabe.
Com amigos novos... tudo é alegria, diversão e falta de medo.

Não sei o que seria de mim sem meus amigos e amigas...
Amo todos, cada um com seu jeito...
Uns quietos, outros falantes, sérios, bravos, engraçados, atenciosos, desligados...
Amigos de sair, de bater papo, de conversas sérias que podem mudar o mundo, de dar volta na cidade, de caminhar, de tomar vinho, de trabalhar...
Amigos que choram junto, que riem junto, enfim...
Amigos que estão sempre ali, pro que der e vier...

*amo todos*

Eu vou mas eu volto.

17 de julho de 2006

A fantástica odisséia de comer de marmitex

Image Hosted by ImageShack.us



Eu sempre fui chata pra comer comida.
Não fresca e sim chata.
Sempre gostei de tudo separadinho no prato, arroz pra cá, feijão pra lá, salada separada
(td bem que aprendi comer salada há pouco tempo),
batatinhas no cantinho e a mistura de ladinho, hehehe
Até entrar no meu atual, louco e corrido trabalho, e descobrir o que é comer de marmitex!
Tem dia que vem quente, tem dia que vem frio, tem dia que não vem! Image Hosted by ImageShack.us

Arroz por cima do feijão, alguma 'massa' socada de lado e o bife por cima!
Ah... isso quando não vem uma farofa super sorridente ou um ovo!
Dia desses eu pedi um filé de frango com purê de batata, e pra minha alegria veio frango com molho de alguma coisa e polenta!

(irc) * normalmente, me daria arrepio só de pensar *

Comi e fazendo descer goéla abaixo não reclamei!!
Não que eu achasse que nunca passaria por isso, mas duvidava que um dia comeria um tróço desses...
Hoje o marmitex faz parte da minha vida, morreria de fome não dá pra viver sem ele.

Com o tempo, a gente aprende que nem tudo é como a gente quer (isso eu já aprendi faz tempo), que nem sempre comemos com os olhos e que o restaurante da esquina é o que mais demora pra entregar...
Pra quem tem fome, não importa quanto revirada vem a comida, e sim o quanto ela cai bem!

É... um dia a gente cresce... rs

Eu vou mas eu volto.

16 de julho de 2006

editado
***Aviso aos navegantes... rs
Isso é uma metáfora! Nada contra cabelos encaracolados, curtos, rebeldes...
Falo apenas de um estado de espírito, um dia legal na vida.
Coisas que acontecem, pelo menos comigo.
Acho que não é tão difícil assim de entender. Sem ofensas, nada pessoal, certo? ;) ***



Image Hosted by ImageShack.us


Dia de cabelo bom...

Poucas pessoas tem a sensibilidade de saber o que é acordar num dia de cabelo bom.
Você acorda. Nem é preciso olhar no espelho e já é possível pressentir.
Seu cabelo está do jeito que você gosta e isso é um bom sinal.
É quase um fenômeno psicológico.

O contrário de quando acordamos num "bad hair day", quando seu cabelo - seja ele liso escorrido, com cachos ou máquina 1 - acorda revoltado.
Na verdade, é uma vingança do seu cabelo contra você.
E não adianta creme, gel... é uma coisa pessoal.
Quando você percebe que está em dia do cabelo ruim, o pânico se instaura.

O contrário do dia de cabelo bom!
Tudo começa dando certo, você escova os dentes com a única preocupação de se vestir e sair de casa.
Você passa pelas ruas sem se preocupar com fenômenos da natureza ou mesmo com os passantes.
Como a Rachel, do 'Friends', disse uma vez...
"pessoas com olhos!!".

Andar pela rua com cabelo bom se parece muito com aquele dia em que você tem um encontro especial...
As pessoas te cumprimentam, as criancinhas sorriem...
(ok, é bem menos que isso)
E no final das contas, você percebe que esse tal encontro é com você mesmo.

O dia de cabelo bom, na verdade é um reflexo do estado de espírito.

Tenho acordado nos últimos dias com o cablelo ótimo... acho que não preciso falar mais muita coisa, né??

Eu vou mas eu volto.

12 de julho de 2006

Eu canto na rua... e danço... e sou olhada com ar de
'coitada, tá doida'! ...
Tudo culpa do meu mp3, que só toca música boa e dançante.
Eu tenho manias estranhas, eu tomo café na padaria, eu dou a volta no trabalho antes de entrar.
Eu observo as pessoas *a-do-ro* e também percebo que sou observada.
Eu adoro cheiro de garagem de prédios.
Não me pergunte que cheiro elas tem, mas todas são iguais.

Eu sou feliz, poxa!

Nem todo mundo exerga que a felicidade pode estar numa mensagem no celular, num sonho de valsa, num bom dia, em coisas tão pequenas...
Posso estar parecendo clichê, mas a felicidade é clichê, e esse é um dos motivos
de muita gente não querer enxergar.
Ok, sem sentimentalismos.

Sonhar é bom mas não leva muito longe.
Não, o sonho não acabou, mas só quero buscar algumas realidades...
O amor é uma fror que precisa ser regada todo dia...
Image Hosted by ImageShack.us
Carai, tô brega hoje!

Eu vou mas eu volto

9 de julho de 2006

Image Hosted by ImageShack.us


Ensaio pra por meu tênis e fazer uma caminhada.
Livros pra ler, filme pra assistir, e alguma coisa pra procurar no google que não me lembro o que é.
A preguiça é maior que o sol lá fora.
Tô tentando ser maior que a preguiça, mas desconfio que hoje o ponto vai ser pra ela.
Talvez um café no shopping mais a noite.

Ando pensando no que as pessoas são, e no que as outras pessoas acham que elas são...
Amigo é aquela pessoa com quem vc quer estar quando quer ser você mesmo.
Não entendo muito bem o que é fazer tipo, sou o que sou, quem quiser alguém diferente, que procure!

Eu pinto o cabelo, sou artificial?
Eu gosto de ler e escrever, sou culta?
Eu tenho mania por dietas, sou gorda?
Eu falo sacanagem, sou safada?
Eu vou além dos beijos, sou piranha?
Eu falo palavrão, sou depravada?
Eu não uso drogas, sou careta?
Eu curto rabiscar durante uma palestra, sou desatenta?
Eu esqueço de pintar as unhas de vez em quando, sou menos feminina?
Eu ouço pop, sou menos roqueira?
Eu ouço techno, sou clubber?
Eu faço mais uma tatuagem, sou marginal?
Eu adoro roupas indianas, sou hippie?
Eu vivo querendo colo, sou carente?
Eu quero ouvir respostas, sou insegura?
Eu faço análise, sou louca?
Eu gosto de beber, sou alcoólatra?
Eu não ligo pra que os outros pensam, sou metida?

Tudo que faço, falo, gosto, penso me torna a pessoa que sou, sou diferente?
Com certeza.
E não cabe a ninguém tentar me mudar.
Quer? goste de mim assim... não quer?
Ok.

Eu vou mas eu volto...

8 de julho de 2006

Depois de uma semana que me derrubou...


Image Hosted by ImageShack.us


Sessão de sábado, com pipoca, guaraná antartica e uma caixa de sonho de valsa.
(vocês precisavam ver a cara de espanto do dono da locadora)
Listinha de filmes fofos para virar a madrugada:

* Um lugar chamado Nothing Hill
* O Casamento do Meu Melhor Amigo
* O diário de Bridget Jones
* Bridget Jones no Limite da Razão
* Como se Fosse a Primeira Vez
* 10 Coisas que eu Odeio em Você
* Espanglês

Edredon, pijama, controle remoto e celular desligado.
Quero deitar na minha cama e esquecer do mundo.

Eu vou mas eu volto.

4 de julho de 2006

Image Hosted by ImageShack.us


Pausa pro café...
Trabalho de gente.. hmmm... digamos... não tão normal é assim:

Paradinha básica no meio da tarde + sentadinha básica pra descansar as pernas + meinhas coloridas + uma camera na mão = um super ensaio totalmente artístico direto da equipe de restauração pro Andando na Chuva Pictures! hahaha

*estrelando... eu e Elisa (minha amiga de trabalho, de fora dele, de idéias, de projetos e coincidentemente de meias também!)

Eu vou mas eu volto

1 de julho de 2006

Image Hosted by ImageShack.us


Tentei escrever sobre várias coisas... tudo e nada na minha cabeça ao mesmo tempo.

Definições... algo que realmente me deixa feliz

Alegria - é um bloco de Carnaval que não liga se não é Fevereiro.
Amizade - é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.
Ansiedade - é quando sempre faltam 5 minutos... para o que quer que seja.
Certeza - é quando a idéia cansa de procurar e pára.
Culpa - é quando você cisma que podia ter feito diferente, mas, geralmente, não podia.
Desculpa - é uma frase que pretende ser um beijo.
Desejo - é uma boca com sede.
Emoção - é uma canção que ainda não foi feita.
Indecisão - é quando você sabe muito bem o que quer , mas acha que devia querer outra coisa.
Intuição - é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.
Lucidez - é um acesso de loucura ao contrário.
Muito - é quando os dedos da mão não são suficientes.
Orgulho - é um muro entre você e o da frente.
Preocupação - é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.
Pressentimento - é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.
Raiva - é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.
Razão - é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.
Renúncia - é um não que não queria ser ele.
Sentimento - é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.
Sucesso - é quando você faz o que sempre fez só que todo mundo percebe
Tristeza - é uma mão gigante que aperta seu coração.
Vontade - é um desejo que cisma que você é a casa dele.
Saudade - o Dé lá e eu aqui por pouco tempo

Eu vou mas eu volto.