30 de novembro de 2009


Aaaaah, a vida de casada...
Não é nada daquilo que a gente espera.
Que coisa, não??
Minha especialidade nunca foi a crítica construtiva, mas pelo meu mau humor exacerbado, posso dizer que é tudo muito bom, sendo assim, a nota é 8.5 com tendência a subir.

Alguns acertos são fundamentais, como a escolha no par ou ímpar (modalidade importantíssima de escolhas na vida à dois) de quem vai por o lixo na rua,
ou quem vai recolher as roupas no varal sem esquecer a roupa do outro por lá.
Mas tudo se acerta depois de uma cara de cachorro que caiu da mudança, daquelas que faz o outro pensar que exagerou.

Ou depois de uma comédia romântica, que normalmente ele assiste, super atento, por obrigação, já que foi uma partida ganha no par ou ímpar, e aquele filme de ação que ele tanto esperava
ficou na fila (que, provavelmente, ela não vai assisitir com o mesmo entusiasmo, e quiçá, dormirá alegando estar cansada de limpar a enorme casa de quarto/cozinha/banheiro...)

Às idas ao supermercado, cercadas por olhares incrédulos de 'eu não acredito que você vai comprar isso', e a cumplicidade ao discutir no shopping as cores das banquetas da cozinha.

Dormir de conchinha nos 10 primeiros minutos, com a certeza que ninguém vai embora na manhã seguinte.
Colocar a música que o ele gosta, 2 minutos antes dele chegar em casa, só pra ver aquele sorrisão ao passar pela porta...

Aaaaah, a vida de casada...
Me faz acreditar que tudo não valeu só a pena, valeu um galinheiro inteiro e que eu faria tudo denovo pra estar aqui.

Me faz acreditar que tudo que eu quero é casar!

Eu vou mas eu volto.

5 de novembro de 2009

*


Mamãe, posso ir?
Pode!
Quantos passos?
10, de formiga!

10 passos dias... não sei se vão ser longos ou curtos, mas com certeza serão firmes e cheios de esperança e expectativa.

A poça d'água vai andar uns 260 kilômetros em direção ao mar...

Eu vou mas eu volto.

*caminho de casa...