19 de setembro de 2012




Já é quase primavera...

E a casa ainda não está do jeito que um dia foi sonhada.
Os criados mudos, que tanto fiz questão de pintar, estão lá, sem tinta.
Nos porta retratos da parede do hall de entrada, falta uma foto.
A iluminação indireta anda tão indireta que a gente só acende a luz principal da sala.
Tem lá, uns passarinhos na parede e um quadro pintado por mim.
Passarinhos também na varanda, que vieram conhecer o bebedouro na sacada e se sentiram em casa.
Casa em que cachorro é amigo de passarinho.
Frida já não liga pros hóspedes, pois eu explico que são amiguinhos.
Sim, sou amiga de passarinhos e explico coisas ao cachorro.

Ainda falta flor, ainda falta cor, ainda falta alma.

Quem sabe, até a primavera...

Eu vou mas eu volto




6 de setembro de 2012


A dieta vai bem, obrigada.
7 k a menos e menos desespero por comida.
Descobri que o segredo da dieta é ter coisas a mão que se pode beliscar.
Castanhas em geral, maçã desidratada, soja torrada, enfim, tudo coisa delícia, só que ao contrário.

Deixando a dieta de lado, o que temos... uma vida pra cuidar!
Vida essa que não anda fácil.
Minha casa é autosujante.
Isso porque moro em apartamento, sem quintal pra lavar ou a obrigação de pôr lixo na rua.
É só da porta pra dentro, porta essa, que vive fechada, apartamento esse, no quarto andar, onde teoricamente não chegaria tanta poeira.
Quanto mais eu limpo, mais tenho o que limpar.
Não entendo todos os conselheiros de plantão não revelam essa faceta da vida doméstica.
Hoje, se preciso dar um conselho a quem está pensando em casar ou ter a própria casa, faço duas perguntas: nasceu pra fazer serviço de casa?  Tem dinheiro pra pagar uma empregada?
Se as duas respostas forem negativas, volta pra casa da mãe e arruma um emprego melhor.

Se o resumo da ópera fosse casa e dieta, juro que estava em zona de conforto.
Mas, todo o resto fica pra uma outra hora.
Talvez passe até lá, problemas e chateações vem e vão.

Mas a bagunça da casa, fica.
Eu vou lá, arrumar...

mas eu volto.