25 de fevereiro de 2008

Há 3 anos atrás, por alguns instantes, perdi o resto de juízo que tinha na época, e fui conhecê-lo.
Amigo de tanto tempo de internet e telefone...
Afinidade, essa é a palavra que definiu nosso primeiro encontro.
Mal sabia que o tempo ia passar, a amizade transformar, e aquele que por tanto tempo foi o amigo e confidente,
se demosntrou a pessoa perfeita pra minha vida (sendo amigo e confidente até hoje!).
Nesse tempo, além da afinidade, acresentaram-se outras palavras em nossa vida
Cumplicidade, sinceridade, companheirismo, admiração, amor...
Assim como os sentimentos, os sonhos entraram em nossa vida, e hoje estão a um passo da realidade.
Realidade que me faz feliz, que me deixa leve, que me faz gostar de mim quando estou ao lado dele.
Que me faz olhar pra trás, e ver tudo que eu desejo láááá na frente!

Deh, você fez da minha vida, dias de sol.
Amo você sempre.

É bom olhar pra trás
E admirar a vida que soubemos fazer
É bom olhar pra frente
É bom, nunca é igual
Olhar, beijar e ouvir cantar um novo dia nascendo
É bom e é tão diferente
...
Sorria e saiba o que eu sei
Eu te amo...


-Nando reis

Eu vou mas eu volto.

17 de fevereiro de 2008

Nada como um dia após o outro, e melhor ainda, dias bem pensados.
Amar, entender, perdoar e aceitar, diferente do que pensava, não são sentimentos isolados, e todos eles levam ao querer.
Existe uma grande diferença sim, entre amar e querer bem.
Quem ama, não pensa nas coisas que incomodam, não pensa que o outro precisa mudar, não pensa que não vai dar certo por isso ou por aquilo...
Quem ama não contesta, quem ama não tira férias.
Quem ama, pensa com a cabeça também, não só com o coração, mas sempre pondera antes de tomar uma atitude, o coração não deixa a cabeça ser 'dura' quando se pode magoar a pessoa amada.
Quem ama, não quer dar lições e ensinar nada às duras penas.
Enfim, sem clichês, quem ama, ama e pronto!

Pensando assim, podemos perceber quando somos amados e quando fazemos bem.

Hoje, posso dizer que amo de verdade.
Também posso dizer que sou muito querida.
Assim como essas certezas, acredito que fiz o melhor sempre, e que essa é minha recompensa pessoal.

Colhemos o que plantamos, ganhamos o que merecemos e por isso eu sou feliz!

Eu vou mais eu volto.

16 de fevereiro de 2008

Pensei em deletar, mas deletar palavras não significa deletar sentimentos.
Uma palavra escrita, revela um pensamento, e meu pensamento um dia foi esse...


Precisamos nos amar antes de amar os outros.
Fato.
Precisamos nos entender antes de entender os outros.
Outro fato.
Precisamos nos perdoar para entender o erro dos outros.
Mais um.
Precisamos nos aceitar para aceitar os outros exatamente como eles são.
Também.

E os outros?

Nos amam?
Nos entendem?
Nos perdoam?
Nos aceitam?


Há uns dias atrás, minha filha de 9 anos veio me confessar que não sabia o que fazer, pois não sabia falar não pras pessoas que ela mais ama.
Como sempre, inventei uma fábula onde a mocinha descobria a fórmula de viver feliz falando não, pois que ama também tem direito a não querer algo.
Hoje, eu percebo que mesmo com tudo isso de idade, eu também não sei.
Mas sabe o que é mais foda?
É não saber entender um não.
É ouvir um não e esperar idiotamente pelo sim.
É acreditar que as pessoas que você ama também não vão dizer um não para você.
Pior que falar um não, definitivamente, é ouvir um.

De que adianta amar, entender, perdoar, aceitar... mas não querer?
Nada.


Eu vou mas eu volto.

10 de fevereiro de 2008

Tenho feito do blog meu muro das lamentações particular nos últimos tempos.
A eterna insatisfação humana...
Se eu reclamo, sou chata, pessimista, dolorida...
se não reclamo, quando vou falar que as coisas não andam muito bem, sou advertida por uma cara de espanto:

- mas como 'não andam bem' se você não reclama de nada?

Nunca gostei de reclamar, muito menos de ouvir reclamações alheias. (diferentemente de ouvir 'desabafos', não sou tão insensível assim)
Tem coisa mais chata que vc encontrar alguém na rua e perguntar se 'tá tudo bem' e a pessoa desabar a contar os problemas?
Ouvir sobre as dívidas, sobre a família, sobre o marido, as crianças, o cachorro que não pára de latir e o papagaio que está perdendo as penas??
Ninguém merece!
Problema, todo mundo tem, cada um sabe onde o calo aperta e quanto dói uma saudade.

...

Não estou conseguindo me concentrar em nada por muito tempo.
A paciência anda curta que só.
Talvez seja uma pseudo tpm, talvez sono acumulado.

Ah... eu vou mas eu volto.

Namastê!