22 de outubro de 2010



Essa semana fui roubada.
Dentro do meu trabalho.
Bolsa e carteira com tudo dentro. Pra coisa ficar mais animada, levaram meu tênis também.
A sensação de vazio é indescritível, chegar em casa, sem dinheiro, sem as chaves, sem documento...
Não tem a bolsa pra arrumar antes de dormir, não ter o batom preferido antes de sair pro trabalho, a bolsinha
de moedas que livrava o lado na padaria, carregador do celular e mp4.
O chaveiro de cabeça de urso (o corpinho se perdeu com o tempo), a bolsinha que eu tinha desde a época da faculdade, o RG com cara de criança ainda...
Nada de valor material, mas, ó... parece que o chão saiu debaixo dos pés.
Eram minhas coisinhas!
Antes de voltar pra casa, foi um tal cancela daqui e dali, boletim de ocorrência, fila no poupa tempo... dia seguinte também.
A tristeza veio só a noite, a raiva, ao amanhecer.
Não foi sonho, não tinha bolsa, carteira, chaveiro de cabeça de urso nem batom.
Vazio assim...

Comecei escrever esse post terça feira, um dia depois do roubo.
Na quarta, cheguei em casa e descobri que minha cachorra comeu minha bota preferida.
Hoje, sexta, consegui perder o livro que comecei ler na terça.
Também mudei os chips do celular pra fazer um teste, e usei a internet com o chip que não tem plano de internet.

Tô tentando, eu juro...
Algo me diz que semana que vem vai ser muito boa.
Ou talvez tenha um terremoto, só aqui no meu bairro.

Eu vou mas eu volto.