17 de março de 2009

Vamos por partes, como diria Jack (the ripper)

Prêmio DARDOS, ganhei do lindíssimo Charlie Liu, e tenho que indicar 15 pessoas.


Com o Prêmio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

Eu tento... aliás, tento mais não, mas continuo aqui.
De tão pessoal passou a umbilical.

So, the oscar dardos goes to

* Sarneba, do Brejo

* Lula, ah! o Lula, pô!

* Ghamurra, pena que ele esqueceu que tem blog.

* Guria, Uma Guria

* Elaine, sem lenço e sem documento e longe de casa

* Controversy, é melhor decifrá-lo...

* Direto de Manaus, Greengirl

* Andrea, lá de onde fica Macondo

* Drêyca, do Another Thoughts

* Sol-risos, da minha amiga que não cria juízo

* Édy, do Corra enquanto é tempo (de ler coisa boa)

* Drika, do Heart's Place

* Thiago, sob metamorfose sempre...

Os demais já possuem o selo, sendo assim, missão cumprida e obrigada pela visita!

Ah! e agora o post nosso de cada dia

Estou cansada de tapinhas nas costas... alguém sabe que merda que é isso??


Eu vou mas eu volto.

8 de março de 2009




Toda mulher é mulher.
Frescura? carência? imaturidade? exagero? extremismo?
Pense o que quiser, não vai fazer diferença, ela não vai deixar de ser mulher.

Toda mulher é menina, eu, minha mãe e até minha avó.
Não precisa de idade pra se sentir a vontade e mostrar a emoção.

Pode segurar, mas o coração vai apertar e só dentro do peito é que se sabe o a dor e só na garganta que se sabe o nó.

Se eu pudesse fazer um pedido aos homens, seria esse
Trate mulher como mulher!

Não esqueça as diferenças, ela pode ser forte, pode ser valente, pode ser brava ou independente.

Mas quer ser menina de vez enquando, mesmo que por pouco tempo, mesmo inconsciente.

Sei lá... esse ano eu tô sensível besta.

Eu vou mas eu volto.