19 de outubro de 2009



Ando introspectiva.
A princípio, achei que as pessoas estavam se afastando, mas hoje vejo uma luzinha no fim do tunel, piscando pra mim, tentando dizer que quem está se afastando sou eu.

Ando reavaliando muito coisa, e tem hora que parece que eu vou até conseguir deixar de ser besta.
Já não abriria meu coração pra quem me sacaneou, já não compraria presente pra quem sabia e nem ligou no meu aniversário.

Estou fazendo às vezes de minha treinadora, no canto do ringue, dando tapa na cara e dizendo 'vamos reverter a situação!'
Nem tanto ao mar, nem tanto a terra.
Não acredito que essência perca-se assim.

Sei que preciso parar de cultivar pequenos hábitos, como remoer algumas frases ouvidas e procurar sentido para outras.
Frases são apenas frases, quando ditas sem sentimento.
Aliás, sentimento é o que pesa nesses momentos de introspecção.

E dramaticidade, afinal de contas, é minha especialidade.


Eu vou mas eu volto.

14 de outubro de 2009

*



post editado

Nas andanças 'pelaí', li um texto bem bacana, que não entendo como demorei tanto pra encontrar.
Copiei, colei e passei o dia pensando o quanto não gosto desse tal de crtl+C/ctrl+V.
A quem possa interessar, basta dar uma googleada:
'quero viver despenteada'

Texto daqueles, que eu queria ter escrito...
Não escrevi, mas aprendi, a um certo custo, a diferença entre viver descabelada e despenteada, rs.
Vivo a segunda opção.

Eu vou mas eu volto, feliz da vida...

*Eu, despenteada na foto