20 de julho de 2009



Acabei de assistir sex and the city (o filme), e no final, me dei conta que hoje é dia do amigo.
Me dei conta de quão desesperador é estar sem os amigos.
Fiz a coisa mais patética e mais verdadeira que poderia ter feito, e agora tô aqui escrevendo, rindo e chorando e meio com vergonha mas nem ligando pro que qualquer um possa pensar.

Uma coisa bem 'maria la del barrio soy', peguei o telefone e nem conseguia ver as teclas direito, hahaha

Liguei pra algumas amigas e falei o quanto a as amo e não sei viver sem esse amor.
Ok, elas se assustaram, mas acabaram chorando e essa história com certeza vai virar mais uma daquelas contadas em mesa de bar.

Amigo é pra isso, né?

Eu vou mas eu volto.

15 de julho de 2009




Voltei pra casa (minha casa), depois de tantos dias em casa (nossa casa).
Tudo ainda é novo, não arrisco dizer que ainda é gostoso, pois não consigo imaginar que deixe de ser gostoso.
Hoje meu dia tá meio vazio, parece que deixei meu coração por lá, assim como outros sentidos... sinto o gosto do chocolate quente antes de dormir, o vapor do banheiro, o friozinho que entra pela porta da cozinha, o barulho dos periquitos pela manhã, o cheiro de casa quando chegamos da rua...
Tanta coisa pra contar, novos amigos, novas descobertas, a vida que a gente sempre quis e hoje taí...
Mas tudo isso está vindo em forma de suspiro, e não de palavras, como eu queria.
Quer saber?
Vou aproveitar.

Eu vou mas eu volto.