30 de setembro de 2009



Ela o conheceu e se encantou. Seu riso fácil, sua animação, vontade de sair, viver, dançar e se divertir eram totalmente diferentes do que ela tinha em seu relacionamento.
Um relacionamento estável, sólido, de anos.
Muito amor e pouca aventura.
Zero de aventura.
Menos um de aventura.

"todo dia ela faz tudo sempre igual, me acorda as seis horas da manhã..."

Ela não pecou por se apaixonar, sonhar, querer aquilo pra sua vida.

Ele? Eu não sei o que ele quis ou o que viu.
Se entregou a uma amizade sincera, talvez.
Uma pessoa verdadeira, objetiva e um pouco dissimulada, o que a tornou atraente, aos olhos de um bom observador.

"todo dia ela diz que é pra eu me cuidar, essas coisas que diz toda mulher..."

Perderam o controle, a razão, o tino.
Mas a convivência não os deixavam em paz.

"todo dia eu só penso em poder parar, meio-dia eu só penso em dizer não..."

Aconteceu.
Tornaram-se mais que amigos fazendo dos seus, amigos também.
Chá da tarde, almoço de domingo, passeios nos feriados.

"toda noite ela diz pra eu não me afastar, meia noite ela jura eterno amor..."

Os seus, não imaginam essa história.
Não há cabimento, entendimento ou desprendimento que dê indícios.

"e me aperta pra eu quase sufocar, e me morde com a boca de pavor..."

Talvez continuem assim, com suas vidas perfeitas e amenas.
Com seus amigos, passeios e cafés.
Sem imaginar, que o inimigo está dentro de casa.

Texto meu, com a colaboração, quem diria, De Chico chatopracacete Buarque.
História verídica da qual eu não quero saber o final.
Minha vida não é amena, não é perfeita e eu sou feliz por isso.

Eu vou, mas eu volto.

21 de setembro de 2009



Cansaço daqueles, de fim de ano, quando as férias estão prestes a começar.
Preciso de 18 horas seguidas de sono, cama quente, silêncio, escuridão, uma caixa de sibutramina, roupas de verão e um pouco de paciência.
Ok, sei que não está 'na ordem', mas eu também não ando em ordem... pra falar a verdade.

Fim de semana foi de comemoração. Casamento da melhor amiga, que não convidou outra melhor amiga.
Situação constrangedora, todas as amigas e uma grande amiga faltando.
Não deixou de ser amiga, mas com certeza, repensou suas atitudes.
Namorados vão e vem... alguns ficam, mas esses, se tornam amigos.
Fica a dica.

Vou ali, ver se acho alguma coisa que perdi, mas eu volto...

16 de setembro de 2009



Eu tenho uma data.
Demorou, foi difícil, mas agora eu já sei o dia e a hora.
30 de outubro de 2009 às 17:00h...
Em outros tempos, seria o fim sair do trabalho, deixar o que gosto, dar baixa na carteira, fazer exame demissional e todas as outras burocracias.
Mas nessa ocasião, está sendo um meio, consequência de um começo bacana, em que eu soube cultivar o que gostaria de colher.
Faltam 44 dias, que serão de muitas reflexões.
Eu vou mas eu volto, pra concluir esses pensamentos.

2 de setembro de 2009



O tempo passou, mas agora no final resolveu parar.
Um mês pra minha mudança, o frio na barriga é inevitável, tanta coisa pra fazer e nada ao mesmo tempo.
Talvez eu perceba pouco tempo antes de ir, na hora de escolher as roupas que vou levar primeiro ou na hora da festa de despedida (ou de chegada).
Não vamos mais pedir pizza todos os dias e passar o dia comendo bobagens deitados em frente à TV, agora não vai ser mais fim de semana e vai ser a minha etcasatelefone.
Ansiosa pela nova rotina, porém, sem pensar muito no roteiro a ser seguido.
Um roteiro pra eu escrever, tarefa das que eu gosto, logo nos primeiros dias.
Ele já sabe que eu vou ser encrenqueira, eu já sei que ele vai ser chato e a gente já sabe que vai ser feliz.

Socorro...

Eu vou mas eu volto.