25 de março de 2008

Foram tantas coisas vistas esses dias, tantos pensamentos pra por aqui...
Tudo derrubado por uma gripe.
Teoricamente, dia de ficar gripada seria assim...
Não é dia arrumar o guarda-roupa, não é dia de pensar na sua existência, não se pode trabalhar e ler só mal e porcamente.
Dia de ficar gripada é pra ficar deitada, é pra tomar remédio, é pra morrer de tédio e andar pela casa de meia e sem sutiã ouvindo Billie Holiday até dormir.
A vasta programação desse dia seria tomar remédio tal a tal hora, tomar xarope tal a tal hora, tomar banho, talvez – vem sempre aquele papo que lavar o cabelo faz mal, sair faz mal, tudo faz mal.
A verdade é que depois de todas as prescrições maternas você quer mesmo é morrer.

Depois de um dificílimo trabalho de parto (dor no corpo como eu nunca tive na vida) e de um pouco de febre, seguidos de tosse, dor de garganta, nariz escorrendo e uma viagem de volta com 2 horas de congestionamento, eis que ainda vivo e trabalho, com a ligeira sensação de morta viva.

Ah... essa minha visão simples das coisas é um privilégio de poucos!!

Eu vou (alí, pegar uma xícara de chá) mas eu volto.

16 de março de 2008

Image Hosted by ImageShack.us


Saudade da época que eu não tinha peito.
Saudade, de quando não tinha peito meeeesmo, quando era criança e minha única preocupação era o que fazer na manhã seguinte.
Saudade de quando eu não tinha peito somente por ser mais magra.
O que 5 quilos a mais não fazem na vida de uma pessoa, não?
Nunca segui padrão de beleza, mas uma coisa que gosto bastante é de me sentir magra.

Nossa, quanto mais o tempo vai passando, mais eu me surpreendo com as coisas que sinto falta, e com as comparações que faço!

Quando eu penso demais, não consigo organizar minhas idéias em forma de palavras.
Quem sabe se isso fosse um quadro...
Talvez uma tela surrealista ou um abstrato de deixar qualquer cidadão tonto!

Mas as idéias vão dando espaço pra comparações loucas, como saudade de quando não tinha peito, ou de que um diálogo é como o que comemos, quanto mais mastigamos menos vemos o que sobrou da comida no cocô.
Será que eu to surtando de vez?

Ao menos, o tempo não está vindo em forma de chatisse, como vejo muitos por aí...
Cada dia pior!

Eu, hein??

Eu vou mas eu volto.

9 de março de 2008

Image Hosted by ImageShack.us


Aquele momento que parecia tão distante, fica tão perto que custamos a acreditar.
Deixar nosso mundinho pra trás e levar somente as melhores recordações é um exercício e tanto.
Entender as mudanças e ver a nova vida de frente, enfrentar os sonhos, ter consciência de que nem tudo vai ser fácil
e ainda assim ir em busca disso tudo!

Com o passar do tempo, tudo muda, sempre.
As pessoas se transformam, o sentimentos, idem.
Infelizmente, crescemos ouvindo que as pessoas mudam pra pior... e acreditamos nisso.
Relacionamentos, teoricamente começam bem.
Amizades, são ótimas até os primeiros desentendimentos.
Emprego novo é uma beleza!
Comecinho de namoro, hmmmm...
De fato, nos decepcionamos com o passar do tempo, mas muitas vezes, deixamos de ver que esse mesmo tempo que passa pode deixar tudo melhor.
Uma palavra dura, um desentendimento, uma mágoa ou uma lágrima podem doer e doem pra caralho na hora.
Nos momentos seguintes.
Nas semanas, talvez meses...

Se o sentimento for verdadeiro, a aspereza de um dia passa.
As mágoas se dissolvem e as palavras se transformam.
E se observamos pelo lado 'bom' da coisa, podemos ver que tudo muda mesmo.
As amizades fortalecem, relacionamentos formam bases, os empregos podem nos dar segurança ou nos levar para caminhos melhores, os namoros se solidificam.

De nada nessa vida adianta ter algo pronto.
Fazer crescer um sonho, um sentimento, e deixar do jeito que sempre sonhamos... isso é viver!

Que venham as mudanças!

Eu vou mas eu volto!

7 de março de 2008

Mulher batalhadora, forte, guerreira...
Não entendo o porquê dessa imagem.
Por que não apenas 'mulher'?
Os adejtivos, ficam por conta do ser humano e não do sexo.
Realmente existem mulheres fortes, assim como existem homens fortes, gays fortes, crianças fortes.
É totalmente válido lutar pelo direito da mulher, mas de forma coerente.
ser feminista extremista e queimar o sutiã em praça pública, só deixa os peitos caídos

Nesse dia, não queremos presentes, nem jantares, muito menos rosas e bombons.
Queremos o respeito e a valorizaçaão da mulher como ser humano !
Igualdade social, justiça, respeito pra quem merece ser respeitado e liberdade de expressão!

Tudo isso, sempre foi nosso, ou melhor, tudo é de quem acredita que tem!!
Sendo assim...

Feliz todo dia pra gente!!!

Eu vou mas eu volto.

1 de março de 2008


Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais...


Confesso que já fui 37 vezes mais ansiosa que hoje.
Já sofri por antecipação, já chorei por nada, já me culpei pela fome na África e coisas do tipo.
Já tive vontade de enfiar a cabeça numa panela cheia de água a gritar porque o tempo não passava.
(tá, isso ainda dá vontade de fazer, às vezes).
Ainda sofro com problemas alheios, mas sei que eles não me pertencem.
Grande passo, garota!!
Aos poucos, vou aprendendo compreender o tempo, a ter paciência e ser tolerante.
Esse é o motivo da minha próxima tatuagem... tempo!
Pra eu olhar, e nunca esquecer que tempo tudo resolve!
Tem outras duas na fila de espera, mas isso vem com o ... tempo! quem diria, hein??

Eu vou mas eu volto!

*As tatuagens que já tenho falam muito sobre tudo que aprendi.
Nas panturrilhas, equilíbrio. As estrelas, sorte, saber aproveitar (e enxergar) as oportunidades.
A letra F, pra eu nunca deixar de me amar, e a bonequinha (minha filha) amor que não se acaba!