15 de março de 2013


Como algumas pessoas conseguem não fazer falta!
Impressionante.
Num dia, eles são bem legais,  mas vão se mostrando e mostrando... não adianta, essência ninguém esconde por muito tempo.
De um passado não tão distante, algumas pessoas que pareciam não fazer falta, hoje fazem.
Admito que errei, fui melindrosa demais, que não era pra tanto.
Mas a regra, se aplica somente ao passado não tão distante.
Mostrou o chocalho hoje, foi pro final da fila (cobras, já bastam as de estimação, que não podem ser deletadas, lembrando, claro, que com essas já sei lidar)
Mas isso serviu pros meus parâmetros atuais.
Certos?
Vou saber, um dia.
Hoje são funcionais.


Eu vou, mas eu volto.

7 de março de 2013


Saudade dos blogs de 2004.
2005, 2006...
Mas foi em 2004 onde tudo começou.
Onde descobri um universo de palavras, de diários virtuais a poesias e de críticas e autocríticas a questionamentos que poderiam mudar o mundo.
Pessoas revolucionárias, talvez, sem saber,
Escritores sem leitores fiéis, mas de registros certos.
Acompanhei, senti e me alimentei de universos tão diferentes do meu.
Tomei gosto pela escrita de forma simples, sem me preocupar com regras ou críticas.
Fiz amigos e fiz um amor pra vida inteira.
Tudo era rápido, intenso, extremista e democrático.
Mas o a la carte dos blogs perdeu espaço pro fast food das redes sociais.
Os textos bem escritos (ou seriam bem interpretados?) se transformaram em tópicos - mais interpretação, menos opinião.
Tento acompanhar, mas sou saudosista.
Antiquada.
Prefiro a modernidade de 8 anos atrás.

Eu vou mas eu volto.