29 de janeiro de 2013


Tudo tão perto e tão distante.
Está alí, mas os braços não conseguem alcançar.
Não adianta pôr a culpa em Saturno, que não tolera sentimentalismos, tem que ter coragem pra ser sentimental.
Nota mental - não esquecer a estratégia!
Estratégia entre tragédias, próximas e pessoais... taí uma coisa difícil.
Então, relembro Saturno, que não não tolera o medo e a insegurança.
Seu Saturno, tá foda, viu?
Mas eu vou te entender, e vou me explicar pra você.
Vamos fazer as pazes e esperar tudo dar certo.
Que os excessos sejam doces, que o trabalho seja abundante, que a dispersão se disperse.

Eu vou, mas eu volto.

2013, o ano de Saturno.

Nenhum comentário: