10 de agosto de 2012


E a vida corre.
Horas, dias, semanas...
E mesmo com tempo, o tempo some.
Não posso reclamar da falta dele, seria injusto reclamar de seu excesso e seria incoerente reclamar da sua demora.

Na verdade, quem está em falta com o tempo sou eu.
E se ele sumisse de verdade?
Eu correria atrás com mais afinco?
Eu daria a ele mais valor?
Eu continuaria reclamando?

Com certeza o tempo anda reclamando de mim.
Porque eu poderia ser mais isso ou aquilo.
Eu poderia fazer mais.
Eu poderia reclamar menos.

Ele também.

Tudo que sobra não é preciso.
Eu ando sobrando pro tempo, e ele pra mim.
Talvez por isso a gente não se acerte.
Sem tempo, quem sabe a gente se flerte...

Bora aprender a não correr atrás do tempo, dar meia volta e voltar a flertar


Eu vou mas eu volto.

Nenhum comentário: