18 de janeiro de 2010



Não vou falar dos acontecimentos desses dias que não escrevi, pois seria sentimentalismo demais pra minha versão 2010.

Continuo aproveitando minhas pseudo-férias (meu relógio biológico insiste em acompanhar as férias escolares), sendo prova viva de que a preguiça é um círculo vicioso, e acreditando que o ócio deveria ser por lei, algo produtivo.

Estou morando no litoral há 2 meses, e fui um único dia (nublado) a praia, pra caminhar (o que me faz pensar que se um terremoto ou tsunami me atingir, vou me arrepender muito por isso).

Minha obsessão por casa limpa está aumenando, e descobri que uma sensação de pavor me invade quando alguma visita senta na minha cama.

Tenho me divertido ao ver pessoas que não sabem perder perdendo, e ao ver os donos da razão perdendo o controle sob seus dedos indicadores, que sempre são apontados com
tanto afinco pras outras pessoas...

Tô assistindo reality show, assumindo que gosto e adoro provocar os intelectuais de plantão (incluam aqui também aqueles dos dedos indicadores) que me rotulam menos inteligente por isso, rs.

Ainda não consigo chamar o namorado de marido, e estou descobrindo que minha vizinhança é peculiar... beeeem peculiar.

Mas isso é prum próximo post, num futuro bem próximo.

Eu vou mas eu volto.

Nenhum comentário: