28 de junho de 2009


Tão clichê falar de amor próprio, tão comum, todo mundo sabe o que é e tem um discurso bem bonito na ponta da língua.
Todo mundo tem seu dia de baixa estima, mas ser assim o tempo todo cansa.

Teoricamente, é pra cansar quem vive nessa situação, mas cansa mesmo quem está por perto.
Como é chato ouvir chororô de quem se acha o coitadinho da história.

Existe uma diferença entre estar num mal momento e fazer da vida um mal momento.
Ai, como eu sofro...

De certa forma, é o caminho mais fácil, mais rápido e menos doloroso - exceto quando se põe a cabecita no travesseiro a noite (isso, praqueles que têm consciência) e/ou praqueles que se sentem confortáveis com a situação e não se dão conta de como o mundo lá fora é grande.

Sei que é feio julgar, também erro, e muito, e cuido do que é meu, começando pelo meu rabo.
Sento nele e fico observando....


Eu vou mas eu volto.

Nenhum comentário: