12 de outubro de 2008



Criança bacana é o que há!
Mas, não sei o que acontece com a nossa sociedade, com essa cultura de não mais criar crianças, e sim, mini monstros adultos.
Num passado não muito distante, menina tinha que usar rosa, menino, azul. Menina brincava de boneca, menino, de bola e carrinho.
Hoje, menino brinca do que quiser (desde que seja brincadeira de homem) e menina tem que andar no salto, usar pink, passar gloss, fazer chapinha, e não sair de casa sem celular.
Eles falam como adultos, pensam como adultos.
Já não têm reações inesperadas e suas respostas são prontas.

Os mini monstros adultos são aquelas crianças que todos acham muito espertas e inteligentes.
Ter uma criança destas em casa deve ser como ter um anão que veste roupas infantis como colega de quarto.
De qualquer forma, quem eu acho que incomoda mais não são essas crianças, mas seus pais e mães, que as acham as mais especiais e fodonas de todas.
Lamentável, porque um dia, todo mundo cresce, e passado na vida da gente, querendo ou não, faz diferença...

Criança prodígio é uma criança como foi Mozart que aos cinco anos já compunha e tocava piano.
Eu adoro criança bacana, até mesmo as anti-sociais com aquela personalidadezinha do capeta (amo!)
Mas de pseudo criança prodígio, eu tenho medo. Muito medo.

Eu vou mas eu volto

Nenhum comentário: