27 de maio de 2008

Picuinha.
Palavra de pronúncia gostosinha.
Quem faz, talvez se divirta, mas quem é vítima... tem que rezar forte pra São Jorge! hahaha
Nunca gostei de leva-e-trás, embora tenha feito algumas vezes, por ingenuidade (apesar de não acreditar que existam pessoas ingênuas há tempos).
Sou da política 'não gosto pra mim, não faço pros outros' (com excessão ao sarcasmo, mas esse, tem como ser não-declarado).
Uma brincadeira na hora errada, uma palavra mal intencionada ou uma indireta daquelas que todo mundo entende, nem sempre são bem interpretadas.
Nem tem como ser bem interpretada, mas quando se leva na camaradagem, a gente dá um jeitinho, ou de fingir que não ouviu ou não entendeu.
Quando a picuinha é reincidente, aí fodeu. Quem a fez, leva a fama.
Consequentemente, deita na cama, porque quem a sofreu vai ficar com um pé atrás até esquecer o ocorrido - quiçá esqueça.

Mas, porém, contudo, todavia... já que pra tudo nessa vida se dá um jeito, a gente se ajeita em cama pequena...
E o feriadão foi bom demais pra me deixar pensar nisso tudo!



Olha só que coisa!
Esqueci do que tava falando...

Eu vou mas eu volto.

Nenhum comentário: