22 de abril de 2007

Amor = Lugar comum.





... Estou aqui, há mais de 30 minutos sentado à frente do PC , tentando encontrar um definição para a palavra AMOR, mas sem faze-lo com lugares comuns nem frases clichês.

E a impressão que tenho é que, quanto maior esse sentimento é, mais dificil se torna sua definição.


Tentei definir por sensações e encontrei essas:

- A sensação que fica quando a pessoa amada vai embora e fica parecendo que o tempo parou, que o pôr do sol ficou preto e branco, que a rua ficou deserta e a TV não tem som.

Tentei definir por sentidos, e...

- Senti que por mais que eu ouça o que os outros dizem, o que quero ouvir é o que ela tem a dizer.

- Por mais que outros me falem de caminhos diferentes, eu não ouço, é o dela que eu insisto em cruzar.

- Por mais que outros vejam nosso futuro incerto, eu o vejo com tardes felizes, risos em frente a TV, manhãs de domingo em lençois brancos de algodão.

E se fosse definir em imagens?

- Um casal correndo na areia da praia, ela de vestido branco e ele de bermuda branca e cabelos molhados, brincando de se pegar? Não!

A imagem que eu vejo são os olhos! Sabe aquele olhar que anula tudo que está à sua volta, quando você pára no meio do seu trabalho para simplesmente pensar no dia de ontem? Em como foi bom? Em como você quer que aconteça denovo?

Ou um mais verdadeiro ainda, aquele que acontece quando vocês dois estão juntos e em determinada situação um fala exatamente aquilo que o outro estava pensando em falar naquele momento? Fala a verdade! Não tem olhar igualmente feliz! É a sensação completa de cumplicidade, e de ser completo.

E no final tudo isso é lugar comum. Pois o amor é um lugar comum, é simples, é incompleto e sozinho ele não existe.

Então, quem nunca quis cruzar caminhos, quem nunca desejou domingos felizes?

Quem nunca quis acordar em uma cama de lençois brancos em uma manhã de domingo com aquele sozinho entrando pelo vão da janela?

Quem nunca teve um pensamento igual ao do seu parceiro?

Quem nunca ficou vendo a TV por minutos e não ouviu nada do que a apresentadora do jornal disse?

É isso, fui vencido pelo lugar comum, ou melhor, pelo amor!

Quer saber, quero mesmo é que minha vida seja sempre esse lugarzinho comum aqui, com chuva ou sem chuva, é por aqui que eu quero ficar andando, até o fim da minha vida, se possivel com dois pares de pegadas na areia...

E para não deixar de ser clichê: Que seja eterno enquanto dure!

Nenhum comentário: